Como não comer demais com Intuitive Eating

Existe uma cultura que nos ensina de que devemos comer de certa forma e ter determinado corpo. Cria a ideia de que sentir fome e querer comer são um problema: como se precisássemos de temer a altura de comer. Aqui vais ficar a conhecer como o método de Intuitive Eating (ou Alimentação Intuitiva) te ajuda a compreenderes exactamente quanto precisas de comer para dar a quantidade de energia necessária ao corpo.


intuitive eating

O que é Intuitive Eating?

Intuitive Eating é um método estruturado que te ajuda a renovares a tua relação com a comida e com o teu corpo. Todas as pessoas expostas à cultura das dietas (ou seja, todos nós) achamos que é normal tentar ignorar os sinais de fome e precisar de validação ou ajuda para termos uma alimentação saudável. Quando, na realidade, a única coisa que devemos realmente fazer é perceber o que o corpo está a pedir e honrar esses desejos, assim é garantido que o apetite naturalmente desaparece, sem exageros nem restrições. Ou seja, se temos fome é porque o corpo está a pedir energia (calorias) e nutrição (micro e macro nutrientes). Privar o corpo de energia, mesmo que intencionalmente, é como tentar prender a respiração: é uma questão de tempo até precisarmos de ar e, quando finalmente nos permitirmos respirar, possivelmente a quantidade de ar a entrar vai ser bem grande, bem mais do que realmente precisaríamos! Há imensos danos que vão acontecer se começamos a ignorar estes sinais de fome cronicamente: desde um metabolismo lento a problemas a nível do comportamento alimentar (má relação com a comida).

Portante, se queres acabar com os apetites de uma fez por todas e comer sem ansiedade, tens de compreender a tua fome.


Quais os sinais da tua fome

A fome é um sinal biológico que, em vez de ser temido, deve ser respeitado e honrado. A Alimentação Intuitiva (Intuitive Eating) trabalha imenso nesse sentido: sintonizarmo-nos com o nosso corpo e conhecermos a nossa fome é fulcral para começarmos a comer exatamente apenas aquilo que precisamos, desenvolvermos uma relação positiva com a comida e termos confiança no nosso corpo para se autoregular e fazer um ótimo uso dessa energia ingerida. E isto, claro está, também é importante para compreendermos a passagem de sentir apetite para ter realmente fome.

A fome é experienciada de forma diferente de pessoa para pessoa. Contudo, estas são as sensações mais comuns de fome biológica:

  • Estômago – vazio e a fazer ruído

  • Cabeça\Mente – dificuldade em te concentrares, ligeira dor de cabeça ou tonturas, incapacidade de te concentrares, pensamento de comida e do que te apeteceria comer

  • Humor – podes sentir-te irritadiça, meia dormente ou dificuldade a reagir a estímulos

  • Em termos de energia – baixa energia, letárgica e com dificuldade em ter vontade de realizar qualquer tarefa.

Não há maneira certa ou errada de sentir fome, tudo isto são apenas exemplos e cada individuo vai ter perceções e sensações diferentes.


E o que significa se não sentires esses sinais e não compreenderes o teu apetite?

Há imensas razões pelas quais não sentes a fome, quase como se essa necessidade por alimento não fosse real. Por exemplo:

Se tiveste a fazer dieta durante muito tempo, ou já há muito tempo controlas excessivamente as quantidade, se tens um diz demasiado atarefado, se estás a passar por um período e enorme stress, se estás em recuperação de um distúrbio alimentar, se tens uma doença crónica, entre outros exemplos.


Alimentação saudável sem regras

A chave para isto, assim como para comer exatamente nas quantidade que precisas, quer seja mais ou comer menos, é de saberes do que o teu corpo precisa e dar-lhe a energia adequada. Afinal, na sua essência, comer é um acto de autocuidado e deve ser abraçado, não temido! Ter apetite não é algo intrinsecamente mal!

Para isto, a Intuitive Eating tem várias ferramentas, como a Escala da Fome e a Escala da saciedade, que são estratégias para te reconectares com as tuas sensações biológicas da fome para saberes quando passamos de apetite a fome e da saciedade, para compreenderes que já estás satisfeita e que mais comida na realidade, traria desconforto.




Características da tua fome

Como regra geral: o corpo precisa de energia a cada 3 a 4 horas, pois é quando as hormonas ligadas à fome e saciedade flutuam (ou aumentam ou diminuem). Se ficares mais de 5 horas sem comer, podes sentir uma queda no açúcar no sangue, o que pode levar a uma sensação desagradável de fome (apenas porque o corpo está a precisar de comer). A recomendação padrão é fazer 3 refeições principais com todos os grupos alimentares (proteína, gordura e hidrato de carbono) a cada 3 horas, fazendo refeições mais pequenas (como lanches ou snacks) entre refeições. Contudo, tudo isto são recomendações gerais! Houve o teu corpo – descobre o que funciona melhor para ti!

Outra consideração a ter é que a fome vai variar de dia para dia. É completamente normal e esperada haverem dias em que tens mais fome do que outros (assim como dias em que queres comer menos porque tens menos apetite!). Não te preocupes e confia no teu corpo para se auto-regular, ele tem mecanismos para isso! Achares que precisas de comer sempre a mesma quantidade de comida é simplesmente irreal, não és uma máquina!

Conhecer a tua fome e saciedade e reconectar-te com o teu corpo são pontos fulcrais para comeres exatamente aquilo que precisas, incluindo comer menos sem sofrer. Para não falar que vão melhorar a tua qualidade de vida e longevidade de vida: vais ter energia para as tuas actividades normais e não vais comprometer nenhum processo fisiológico por falta ou excesso de energia e nutrientes!





E se a fome não for biológica?

Uma pequena nota super importante é que nem toda a fome é biológica, ela também pode ser emocional. Fome emocional não é tem de ser algo negativo! O importante é tentares perceber se estás a comer para acalmar alguma emoção ou adiar ter de resolver certa situação. Se dás por ti a sentir apetite mas na realidade não é bem um sinal do corpo, então podemos estar perante um caso de fome emocional. Para compreenderes melhor, vê este artigo que explica mais sobre o que é fome emocional.


Espero que esta visão geral de como compreender a fome biológica que tenha dado as bases para compreenderes o inibidor de apetite mais eficaz de sempre: o teu próprio corpo reconectado com as tuas necessidades. Relembra-te: Alimentação Intuitiva não é uma dieta e não a estás a aplicar de forma errada ou a ‘estragar’ tudo se comeres demais ou de menos em determinada ocasião: é tudo uma questão de prática e de aprendizagem.

Pede ajuda e uma orientação de quem conhece na integra este processo, para te ajudar na tua recuperação!


Qualquer dúvida ou questão sobre como conseguires te ruma alimentação saudável, fazeres as pazes com a comida, acabares com as compulsões e inibires os apetites que não são fome é só escolheres a melhor forma para te ajudar!


LEMBRA-TE: somos fantásticas. E NUNCA te esqueças de TI!

Posts recentes

Ver tudo

Segue-me no Instagram!

Usa o meu cupão para descontos e presentes grátis na ZUMUB, PROZIS E EU NUTRITION

Copy of 10% zumub.png
10% prozis.png
_10% eu nutrition.png

Copywright© 2020 de Joana Amaral

 

Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte integrante do mesmo não pode ser reproduzido sem a autorização expressa da autora, seja para fins pessoais ou comerciais.

Política de Privacidade

Termos e Condições

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Pinterest
  • Preto Ícone RSS